|

Governo pode suspender planos da TIM semana que vem

A italiana TIM, segunda maior operadora de telefonia celular do Brasil, poderá ser punida com a suspensão total ou parcial das vendas de planos já na próxima semana, de acordo com a Bloomberg. A agência de notícias obteve a informação de uma fonte do governo que acompanha de perto as discussões. A empresa também pode ser multada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). “A decisão não pode se arrastar e por isso deve ser tomada até a próxima semana”, disse à fonte.
Nesta quinta-feira, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, ameaçou impedir a empresa – ainda que a ação caiba, de fato, à Anatel – de comercializar novos pacotes de telefonia móvel caso a operadora não acelere os investimentos em suas redes para melhorar a qualidade do serviço em algumas regiões do país.
Segundo a Bloomberg, a condição para a TIM reverter a decisão é a apresentação de um plano de investimento para a rede. A Anatel, de acordo com a fonte, estuda em que estados a operação da empresa apresenta falhas. 
Procurada pelo site de VEJA, a assessoria de imprensa da TIM limitou-se a repetir o comunicado feito no final da tarde desta quinta-feira. Em nota, a companhia disse que desconhece qualquer possibilidade de suspensão de vendas e que investiu cerca de 3 bilhões de reais ao ano, nos últimos quatro anos, na área de infraestrutura. A Anatel afirmou à reportagem que não possui posicionamento a respeito disso. Ninguém foi encontrado no Ministério para dar novos esclarecimentos.

Repercussão – Após a forte queda das ações da TIM Participações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), decorrente da declaração no ministro Paulo Bernardo, bancos de investimento recomendaram nesta sexta-feira a compra dos papeis. Para Merrill Lynch, Morgan Stanley e Fator, o "momento de baixa" representa uma boa oportunidade de compra para os investidores. Na avaliação do Mongan Stanley, ainda que a rede da TIM seja de qualidade inferior à da concorrente Vivo, ela é "boa o suficiente". Na avaliação da Merril Lynch, com base nas declarações do ministro das comunicações, as sanções terão impacto limitado. Já o Banco Fator destacou que, mesmo se em situação limite houver interrupções de novas vendas da TIM, isso não deve ocorrer em âmbito nacional, mas sim em algumas regiões.

Por Veja